quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O Mate do Corredor ou Mate de Gaveta (Xeques Mates Famosos)


Este é um dos xeques mates de execução mais simples, mas apesar da sua simplicidade muitas partidas terminam de forma contundente graças a alguma combinação que explora este tema enxadrístico.

O Mate do Corredor é um elemento que pode ser facilmente adicionado a outras armadilhas táticas no desenvolvimento de uma partida. Neste mate, a palavra corredor identifica a primeira ou a ultima fila, fila esta em que o Rei que recebe o xeque mate se encontra, e o lado vencedor executará o mate com uma peça maior, uma Torre ou uma Dama.

No diagrama abaixo observamos uma posição exemplo na qual a execução do mate por parte das brancas é bastante simples. 

A Torre colocada na casa “e4” será movimentada para a casa “e8” para dar xeque (1.Te8+), e depois da troca forçada (1...Txe8) as brancas dão o xeque mate com (2.Txe8++).

Na posição final podemos observar que o Rei negro está bloqueado por seus próprios peões e não existe nenhuma peça que possa capturar a Torre agressora ou mesmo interpor-se entre ela e o rei. Uma forma de evitar este tipo de situação é abrir uma “casa de escape” para o Rei jogando, por exemplo, "h6" de maneira tal que a casa "h7" lhe sirva de escape. No entanto, o avanço de peões no flanco em que se encontra o Rei tem o inconveniente de debilitar o roque, por isso deve-se avaliar adequadamente a real necessidade de tal avanço.

Outro exemplo, este um pouco mais complicado de resolver, é o que encontramos no diagrama abaixo. Neste caso as brancas não podem jogar diretamente 1.Te8+ porque as negras capturariam a Torre com 1...Txe8+ e a após 2.Txe8+ voltariam a responder com 2...Txe8 ficando com uma Torre de vantagem. Entretanto, as brancas podem sacrificar a Dama:

Jogando 1.Dxc8+! com o que eliminam uma das Torres que defendem a oitava fila. Desta forma, depois que as negras capturam a Dama branca com 1...Txc8, as brancas podem dar xeque mate com a seguinte seqüência de jogadas 2.Te8+ Txe8 3.Txe8++.

Este tipo de mate aparece com certa freqüência na prática magistral do xadrez e, em algumas ocasiões, tem como resultado verdadeiras obras primas.

A seguir temos 3 problemas mais complexos relacionados com este tema:

1) Uhlmann - Pahtz (Halle, 1984).
A partida seguiu:

1.Dxc8+!!
[Um erro seria: 1.Dxd3 Axf3+ 2.Ag2 Df2! 3.Axf3 (se: 3.Tg1 Dxg2+ 4.Txg2 Tc1+ 5.Dd1 Txd1++) 3...Dxe1+

1...Axc8 2.exd3 Dxf3+ 3.Ag2
[e as negras abandonaram, pois perdem a Dama por não ter como impedir simultaneamente as ameaças: 4.Te8++ e 4.Axf3]


2) Wolf - Spielmann (Ostrava, 1923).
Ainda que a vantagem da qualidade deva levar à vitória, a variante mais contundente é:


1.h3!! [Desviando a Dama]

1...Dxh3 2.Dxf3!! [Desviando a Torre]

2...Txf3 [Não existem muitas opções contra Dxg2 e Dxf8]

3.Tc8+!!
[E agora um novo desvio... desta vez desviando o Bispo]

3...Axc8 4.Te8+ Tf8 5.Txf8++


3) Mikenas - Bronstein (Tallin, 1965).
Ainda que a vantagem da qualidade deva levar à vitória, a variante mais contundente é:

1.h3!! [Desviando a Dama]

1...Dxh3 2.Dxf3!! [Desviando a Torre]

2...Txf3 [Não existem muitas opções contra Dxg2 e Dxf8]

3.Tc8+!!
[E agora um novo desvio... desta vez desviando o Bispo]

3...Axc8 4.Te8+ Tf8 5.Txf8++

1...Txa3!! [se: 1...De1+? 2.Df1 com ligeira vantagem das brancas]

E as brancas abandonaram, pois:

a) Se: 2.Dxa3 De1+ 3.Txe1 Txe1++

b) Se: 2.bxa3 Dxa1 3.Tb1 Te1+ 4.Txe1 Dxe1 5.Df1 Dxf1++

c) Se: 2.Db1 Txa1 3.Dxa1 De1+ 4.Dxe1 Txe1++
By José Pérez

Nenhum comentário: